NOSSA DICA

Os gastos com as obras, podem se tornar um problema se não forem bem planejados e controlados. O planejamento é o primeiro item que deve ser seguido, quando se trata de uma construção ou reforma. A Planilha de controle de obra, http://www.planilhasdeobra.com/, se encaixa perfeitamente nesse planejamento, pois é através dela, que você poderá conferir, onde está investindo o seu dinheiro.
O primeiro passo para economizar é o planejamento. Sem planejamento nada funciona. Acrescente uma lista todos os materiais necessários para a sua construção. Se precisar, peça ajuda para um profissional. Após colocar todos os materiais necessários organizados em uma lista. Pesquise os preços de todos os materiais de construção que irá utilizar. É importante que essa pesquisa, seja feita em pelo menos em três lojas diferentes. Faça a cotação da compra e compare com os preços da nossa loja.
Além de preços competitivos, nós parcelamos a sua compra, através do cartão Construcard da Caixa.

TABELA

A tabela ao lado, não inclui porcentagem referente à mão de obra (por conta dos reajustes constantes que não podem ser mensurados com precisão) e seus valores de referência têm base em um projeto arquitetônico de padrão normal, com estrutura de concreto armado ou alvenaria. Assim sendo, os valores-base podem sofrer variações de acordo com diversos fatores.

 

CRONOGRAMA

Assim, auxiliado por essa ferramenta, é possível criar um plano de controle de gastos conforme o cronograma do projeto, ajudando na adequação do dinheiro disponível para o empreendimento.

PERCENTUAL DE GASTOS

Projetos
5%
Preliminares
2%
Fundações
3%
Estrutura
15%
Alvenaria
5%
Cobertura
8%
Hidráulica
11%
Elétrica
7%
Impermeabilização
4%
Esquadrias
10%
Acabamento
20%
Vidros
3%
Pintura
6%
Complementares
1%

VOCÊ SABIA?

Um problema que afeta não apenas clientes, mas também construtoras, investidores, engenheiros e mestres de obra é a dificuldade de cumprir cronogramas de construção. Mas por que isso acontece? Porque o período necessário para realização da obra sofre influência direta de fatores que não podem ser totalmente controlados e alteram significativamente o prazo de término de construção. E essas variáveis muitas vezes pegam o responsável pelo cronograma (e todos os outros envolvidos) de surpresa. Esses fatores são:

1. Mão de obra

São muitos os motivos que levam profissionais a abandonarem uma obra: exigência salarial acima do que se pode pagar, falta de qualidade nos serviços prestados e problemas pessoais são apenas alguns deles. Com demissões e contratações ao longo do processo, o tempo necessário para a execução da obra pode aumentar.

2. Material de construção

O atraso na entrega de material, produtos não disponíveis nas lojas e desperdício de recursos no canteiro são alguns dos problemas inesperados que ainda afetam diretamente o prazo de entrega de uma obra, gerando transtornos.

3. Clima

É o fator mais difícil de prever e controlar. Ainda que seja possível realizar um estudo da tipologia do clima local para tentar saber qual é o período com maior incidência de chuvas, por exemplo, é praticamente impossível calcular exatamente a quantidade de dias ou meses que podem ser perdidos.

Para aumentar sua comodidade, considere trocar seu interruptor simples por um paralelo – modelo que permite que a luz seja acesa em um cômodo e apagada em outro. Se você quer saber os detalhes de como fazer isso, leia com atenção essas dicas que preparamos para você:

Passo a passo

  • Certifique-se de que o disjuntor geral esteja desligado antes de iniciar;
  • Escolha o local onde o interruptor paralelo será instalado;
  • Lembre-se de que a caixa de luz na qual o paralelo será colocado deve conter um conduíte (tubo flexível que envolve a fiação) interligado com a caixa de luz do interruptor principal;
  • Passe pelo conduíte os fios chamados de condutores (eles devem ter 1,5 mm2), interligando as duas caixas. Para ficar mais fácil, é possível identificá-los como: fio condutor, A, B e C;
  • Identifique o fio condutor principal: se a instalação da sua casa estiver dentro dos padrões, esse fio estará ligado ao parafuso central do interruptor principal;
  • Conecte o fio condutor ao parafuso central do interruptor paralelo e ligue também os fios A e B aos parafusos restantes;
  • Perceba que o terceiro condutor, o fio C, sobrou. Ele deverá ser emendado e isolado com fita isolante juntamente com o fio que sobrou do interruptor principal;
  • Certifique-se de que na caixa de luz do interruptor principal as pontas dos três fios (A, B e C) estão ligadas, seguindo o mesmo padrão da caixa de luz do interruptor paralelo;
  • Realize o acabamento necessário com a instalação dos espelhos;
  • Pronto! Agora você pode contar com a comodidade dos interruptores paralelos.
Conheça as vantagens e desvantagens de descarga com válvula, caixa acoplada e caixa de descarga. Veja a nossa análise, o os exemplos de cada um desses produtos para o vaso sanitário.
O sistema de descarga em um vaso sanitário, é um item de grande importância no banheiro de uma casa, afinal, ele cumpre um papel importante para a higiene das pessoas. Há basicamente três tipos de acionamentos de descargas, e cada um deles apresenta vantagens e desvantagens. Veja abaixo a análise e os exemplos de cada um.

Descarga com válvula

A válvula de descarga é um modelo que já foi muito usada no Brasil, e de certa forma ainda é. O mecanismo é instalado na parede, por onde passa o cano de água, que dá acesso ao vaso sanitário, desta forma, quando acionado, ele libera a passagem da água permitindo a descarga no vaso, em seguida ele fecha a passagem da água, e assim evita o vazamento e o consequente desperdício.

  • Vantagem: É uma descarga com boa pressão de água.
  • Desvantagens: Gasta mais água, e é mais difícil fazer a manutenção.

Veja aqui exemplos de válvulas de descarga

Caixa de descarga

A caixa é usada quando não foi feito a tubulação de água dentro da parede. Para evitar quebrar a parede, coloca-se uma caixa para armazenar a água, e quando necessário, puxa-se uma cordinha que abre a parte de baixo da caixa liberando a água, para a descarga. Este modelo é mais usado em banheiros improvisados.

  • Vantagem: Não é necessário quebrar a parede, e quase não dá manutenção.
  • Desvantagens: Faz muito barulho ao acionar a descarga, e fica com uma estética ruim, já que a caixa e o cano da descarga ficam aparentes.

Veja aqui exemplos de caixa de descarga

Caixa acoplada

Este é o modelo mais usado hoje. A caixa que armazena a água para a descarga, fica acoplada ao vaso, e o acionamento é feito por uma válvula na parte superior da caixa. Hoje, ela conta inclusive com acionador duplo, que permite liberar quantidades diferentes de água para cada tipo de descarga.

  • Vantagens: É moderna, tem acionador duplo e fácil manutenção.
  • Desvantagem: Não dá muita pressão na descarga, e portanto em alguns casos, é preciso acionar uma segunda vez, para limpar todos os dejetos.

Quantos sacos de cimento se usa para construir uma casa?

Veja a análise de tamanho da obra, características, acabamento externo e uso de concreto usinado para determinar a quantidade de cimento para construir uma casa.
Na construção de uma casa, diversos materiais são usados, desde os mais básicos como pedra, areia e cimento até os destinados ao processo de acabamento como piso cerâmico, luminárias, tinta, vidro, entre outros. Desses materiais o cimento é um dos mais usados, especialmente na fase de alvenaria onde o seu consumo é imenso.
Considerando que o preço do cimento está relativamente alto e seu valor sofre influência de diversos fatores econômicos, é bom conhecer de antemão, ou pelo menos ter uma noção da quantidade de sacos de cimento, que se usa para construir uma casa, pois assim ficará mais fácil, fazer o planejamento financeiro da compra deste item.
Para saber a quantidade de cimento que você irá gastar, é preciso considerar inicialmente, pelo menos quatro coisas:

1º – Quantidade X Tamanho da obra

A primeira coisa a considerar neste cálculo, é o tamanho da sua obra. Quanto maior ela for, mais cimento tende a gastar. É uma regra simples e aplica-se também à maioria dos materiais de construção. A explicação deste fato, é que o cimento é usado no alicerce, paredes, lajes, contrapiso, reboco, platibandas, entre outros. Todos esses itens são calculados por metro quadrado, ou seja, largura x comprimento, logo quando maior, mais material será usado.

Exemplo:

Para construir  uma casa de 160m², usa-se aproximadamente 320 sacos (50kg) de cimento.

2º – Características da obra

A casa é térrea ou sobrado? A sala terá pé direito mais alto que os demais cômodos? Qual será essa altura? É necessário fazer muro de arrimo para a sustentação da base? Será necessário fazer vigas de sustentação como em entrada de garagem, vão livre, entre outros. Quantas colunas serão feitas no alicerce e erguidas depois nas paredes?

Essas e outras perguntas são importantes, para entender a quantidade de cimento usado, logo, perceba que não é possível fazer uma afirmação exata, ou pelo menos aproximada da quantidade usada, já quem esses fatores poderão alterar bastante o consumo de cimento.

3º – Acabamento externo

Embora seja comum considerarmos a metragem quadrada da obra, como ponto referencial da quantidade de cimento que se usa, na prática temos de levar em conta, o acabamento externo da casa, como a concretagem da calçada, entrada da garagem, muros, concretagem em volta da casa, quintal, entre outras partes.

Não incluir este acabamento externo pode ser um erro, já quem em termos de concreto, o uso pode ser elevado e com isso aumentar bastante o consumo.

4º – Concreto usinado

Embora estejamos tentando mostrar os fatores que implicam na quantidade do consumo de cimento bruto, é preciso levar em conta, que é muito comum e talvez até necessário, fazer o uso de concreto pronto ou concreto usinado, para algumas partes da construção, como alicerce, laje, colunas e as vezes até no contrapiso.

O concreto usinado é importante para a construção, pois como ele já vem pronto, o processo de concretagem é feito mais rápido. Também como ele seca muito rapidamente, acaba sendo uma boa opção para não parar a obra e esperar o concreto secar.

Veja que se a opção for fazer o uso de concreto usinado, a quantidade de sacos de cimento irá diminuir na construção da casa.

Afinal, quantos sacos de cimento irei gastar?

Considerando todos os fatores acima expostos, podemos usar o exemplo que dei acima para estabelecer uma possível quantidade. No exemplo acima eu afirmei que usei aproximadamente 326 sacos de cimento para 160 m/2 de construção + o acabamento externo. Fazendo um cálculo simples chegaremos a aproximadamente 2,03 sacos para cada metro quadrado de construção.

Não é regra

Note que isso é um exemplo é que todos os fatores acima expostos precisam ser considerados para determinar a quantidade. No caso citado usei concreto usinado para as brocas, alicerce e laje.

Algumas dicas

O concreto usinado ou concreto pronto é uma boa opção e embora possa parecer que ele é mais caro do que fazer o concreto na obra, se você somar a mão de obra, os materiais, como o cimento, areia, cal e outros, bem como a qualidade final da concretagem, notará que vale a pena usar usinado.

Compre um cimento de boa qualidade. As vezes ficamos correndo atrás de preços baixos, mas tem coisa que não compensa economizar e cimento certamente é uma delas.

Se você tiver como armazenar, o ideal é comprar em grande quantidade e ai sim você fará economia, pois conseguirá um preço mais baixo, mesmo por um bom cimento.

Contratar um bom pedreiro também é uma das formas mais eficientes para economizar cimento. Não só pelo cuidado dele e por não desperdiçar o material, como também pela qualidade do serviço. Imagine uma parede torta? Sabe o que é preciso fazer para corrigir isso? Fazer um reboco muito grosso e assim tentar tirar as imperfeições e isto irá gastar muito cimento.

Como evitar erros na compra de Portas e Janelas

Na construção civil, todo cuidado é pouco na hora de escolher os materiais que serão comprados. Mesmo no planejamento, é necessário levar em consideração, o correto uso de portas e janelas, por exemplo.

São itens que podem apresentar problemas de usabilidade de mal feito. Veja abaixo 7 erros que você poderia incorrer na escolha de portas e janelas, mas poderá evitá-los.

1. Evite produtos muito baratos

Comprar portas e janelas baseado apenas no preço baixo, pode ser o primeiro e mais primário erro que você pode cometer. As consequências podem ser graves e levar a um desconforto na hora de usá-los. Portas ou janelas que emperram na abertura, cupins, empenamento, infiltração de água, ferrugem e outros problemas podem ser as consequências.

2. Janela de vidro ou material opaco

Está na moda o uso do vidro, especialmente em janelas. Muitos tem optado por colocar janelas de vidro ou blindex nos quartos. Mas cuidado com esta escolha, pois ela pode ser um problema. O vidro é transparente e vai passar muita claridade a noite para dentro do quarto, mesmo com o uso de cortinas. Ainda assim considere que uma boa cortina que corte a luz e especialmente os raios ultravioletas do sol pode custar caro.

O uso de janelas de vidro é muito indicado para sala, escritórios, cozinha ou corredor, mas para dormitórios não sei se é a melhor opção.

Contudo é preciso ficar muito atento a questão da vedação em janelas de vidro, pois em muitos casos ela não é boa e não é incomum encontrarmos problemas de entrada de água por falta de uma boa vedação.

3. Tamanho da janela

Atente para o tamanho da janela e para isto considere o espaço de parede, tamanho do quarto e posição da mesma. Quartos muitos grandes com janelas pequenas podem ser esteticamente desagradável, bem como não promover a iluminação e ventilação necessária.

As medidas mais comuns para dormitórios são:

  • 1,00 x 1,50
  • 1,00 x 2,00
  • 1,00 x 1,20
  • 1,20 x 1,50
  • 1,20 x 2,00
  • 1,20 x 0,50

Para sala, cozinha, banheiro ou corredor é mais comuns as seguintes medidas:

  • 1,00 x 1,50
  • 1,00 x 2,00
  • 1,00 x 1,20
  • 1,20 x 1,50
  • 1,20 x 2,00
  • 0,60 x 0,80
  • 0,50 x 0,50
  • 0,40 x 0,60
  • 0,60 x 0,60

4. Portas de madeira oca e semi oca

Ao comprar portas de madeira fique atento para as folhas de portas ocas e semi ocas, aquelas mais baratas. Eu comprei duas portas e ambas apresentaram o mesmo problema na preparação delas para o assentamento, ou seja, ela estufou, pois, é uma madeirinha bem fininha que reveste a porta. Portas de entrada ou locais onde possa haver umidade escolha madeira maciça.

Há basicamente três tipos de portas de madeira:

  • Oca: Quando ela é revestida de madeira e por dentro é oca. É a pior opção.
  • Semi oca: Segue o mesmo princípio, mas ela tem enchimento de madeira também. Indicada para uso interno na casa.
  • Maciça: Feita de madeira mesmo, ainda que seja de pedaços de madeira para formar desenhos e criar formas variadas, mas é madeira maciça. Esta é a melhor opção e consequentemente a mais cara. É indicada para portas de entrada ou locais onde há a possibilidade de receber umidade.

5. Largura das portas

Existem várias larguras de portas e é muito importante ficar atento a isto. Colocar porta muito estreita pode ser um erro grave. Pessoas com cadeiras de rodas podem ter dificuldades de se locomover, assim como a entrada de móveis e outros objetos maiores.

Portas de entrada devem ser mais largas, até para ter uma aparência melhor esteticamente. As internas podem ser mais estreitas, mas considere a necessidade.

As larguras mais comuns e padrão são as seguintes:

  • 2,10 x 0,70
  • 2,10 x 0,80
  • 2,10 x 0,90
  • 2,10 x 1,00
  • 2,15 x 1,20
  • Entre outras

6. Posição de portas e janelas

Outro erro pode estar relacionado à posição das portas e janelas. Se você for como eu que gosta de dormir com janelas abertas é importante pensar na posição dela em relação à cama para evitar que você acorde com o sol batendo no seu rosto, assim como a incidência de chuva e sol no período da tarde. Portas de entrada não devem ficar expostas ao sol e chuva se o produto for madeira ou ferro.

7. Acabamento

Outro erro pode estar relacionado a forma como você dá o acabamento, especialmente em madeira. Lembro de quando fui envernizar as portas de uma casa que construí e não atentei para o fato de que a madeira arrepia quando se aplica o verniz e lixei a porta para depois aplicar o verniz. O resultado não ficou bom. O ideal é chamar um profissional de pintura para fazer um acabamento de qualidade, especialmente em portas e janelas de madeira.

No caso de janelas, o ideal são os modelos de alumínio branco que já vem prontas e com acabamento, sem contar que é um material que não sofre com ferrugem e a durabilidade é muito grande.

Escadas de alvenaria ou concreto?

 

A construção de uma escada em uma casa, pode parecer um processo simples, mas não é, existem alguns cuidados no que diz respeito ao projeto da mesma, a fim de evitar problemas no uso.

Uma escada de alvenaria, é um recurso usado em construções de dois ou mais pavimentos, e é importante considerar o comprimento da escada, a quantidade e altura dos degraus, o tipo do piso que você irá colocar, e para isso, você precisa considerar se escada ficará na interna da casa, ou na área externa, entre outros.

Veja esta dica mostrando qual a melhor época do ano para iniciar a construção de uma casa, levando-se em conta, os fatores naturais que podem atrapalhar, como o caso da chuva.

O planejamento para construção de uma casa, envolvem muitos fatores e precisa ser feito com bastante cuidado, com atenção aos detalhes, que às vezes passam despercebidos, mas que podem ser importantes no decorrer do desenvolvimento da obra. Normalmente existe a preocupação com a planta da casa, os materiais de construção que serão usados, a contratação da mão de obra, os processos burocráticos e documentação necessários, entre outros. Mas há uma preocupação que precisa ser levada em conta que diz respeito à época do ano de começar a construção, principalmente quando existe presa em terminar a obra e portanto, qualquer tipo de atraso pode ser prejudicial.

Qual a melhor época do ano para começar a construção?

Para dizer qual a melhor época do ano para começar a construção de uma casa, é preciso levar em conta quais são os fatores que podem atrapalhar o processo, uma vez que eles estão ligados a fatores naturais, como a chuva. No início da obra o trabalho concentra-se principalmente na fundação e alvenaria e estas etapas requer o tempo bom, ou seja, se for período de muita chuva é complicado e em muitos casos pode haver atrasos e às vezes até perder o serviço foi feito dependendo do caso.

Início do outono

Desta forma é possível afirmar que a melhor época do ano para iniciar a construção de uma casa logo após o término do verão ou o início do outono, geralmente no mês de abril onde normalmente haverá um bom período tempo mais firme e com chuva menos frequente, desta forma você terá um prazo até um mês de outubro mais ou menos para fazer a parte de alvenaria e deixar a casa com a cobertura pronta. Desta etapa em diante a chuva já não interfere tanto uma vez que possível continuar trabalhando mesmo com tempo de chuva, pois a casa já estará coberta.